É o contact tracing, a expressão em inglês que ficou popular junto com a expansão da pandemia do novo coronavírus. Uma prática tradicional da vigilância epidemiológica, o SUS tem expertise no contact tracing – ou controle de comunicantes -, mas não o fez para controlar a Covid-19.

No episódio 25 do Dadocracia, o podcast sobre tecnologia e sociedade do Data Privacy Brasil, discutimos o impacto dessa decisão e falamos sobre o Coronavírus SUS, app lançado pelo Ministério da Saúde que incorporou no final de julho um protocolo de controle de exposição desenvolvido em parceria pela Apple e Google.

Além disso, convidamos a doutora em saúde pública e mestre em direito Márcia Sabino e o advogado e médico sanitarista Daniel Dourado para falar sobre os (muitos) erros do Governo Federal no controle da epidemia, importância do SUS e perspectivas para o futuro da Covid-19 por aqui.

Links:

Leia aqui como o NHS, o SUS britânico, abandonou o app próprio para Contact Tracing e adotou o protocolo da Google e Apple.

Veja a notícia sobre o rastreamento de contatos no Palácio de Bandeirantes após o governador de São Paulo receber o diagnóstico positivo para Covid-19.

Durante a entrevista com a Márcia e o Daniel, os dois fizeram referência a casos brandos de reinfecção pelo novo coronavírus. Horas depois, a Márcia nos mandou um link com mais uma novidade sobre a doença: a confirmação da primeira pessoa que pegou Covid pela segunda vez e teve sintomas severos. Respira fundo e dá uma olhada.